Apesar de pressões contrárias, ONU deve aprovar resolução contra o Hamas, diz embaixador

O embaixador israelense na ONU, Danny Danon, disse acreditar que o projeto de resolução dos EUA condenando o Hamas pelo lançamento de foguetes e balões incendiários contra Israel será aprovado pela Assembleia Geral da ONU, apesar de pressões contrárias de representantes da Autoridade Palestina e do Irã. A resolução deve ser votada na tarde desta quinta-feira (6) pelos 193 membros da Assembleia Geral. O projeto de resolução exige que “o Hamas e outros atores militantes, entre eles a Jihad Islâmica Palestina, cessem as atividades (contra Israel), incluindo o lançamento de dispositivos incendiários”. Além disso, a resolução busca condenar as facções palestinas em Gaza pelo uso de infraestrutura civil para fins militares e pela violação dos direitos humanos. Também pede que o Hamas pare com ataques violentos contra funcionários humanitários e equipes médicas.

O projeto também insta o grupo terrorista a voltar à mesa de negociação para reiniciar o processo de reconciliação com o Fatah, do presidente Mahmud Abbas. Esse item, que pode ter contribuído para a decisão dos Estados árabes de votar a favor da proposta, foi incluído também para obter o apoio dos 28 membros da União Europeia – assim como de alguns países da Europa Oriental, ilhas do Pacífico e Estados africanos – e acrescido de uma referência a “resoluções relevantes da ONU”, embora não especificadas. O voto de condenação ao Hamas é “apenas uma gota no oceano” diante do grande número de resoluções anti-Israel adotadas na ONU, observou o professor Eytan Gilboa, pesquisador sênior do Centro de Estudos Estratégicos Begin-Sadat.