Festas pelos 70 anos de Israel e de Chanucá atraem grande público em SP e RJ

 

A Praça Alexandre de Gusmão, localizada na região da Avenida Paulista, abrigou o Fest Shalom SP II, que reuniu mais de oito mil pessoas no domingo, 2 de dezembro.

Quem compareceu ao evento teve a oportunidade de conhecer de perto a cultura judaica, experimentar pratos típicos, comprar artesanatos e produtos  judaicos, saber mais sobre Israel, recebendo dicas sobre turismo e inovação. Havia ainda  um setor com a presença de instituições judaicas e uma área infantil, para a diversão das crianças.

O palco principal foi tomado por apresentações de danças típicas, música judaica e israelense,  Coral, Bandas e  uma demonstração de Krav Magá. Um dos destaques foi a presença da  DJ israelense Meital Barzilay que comandou as pick-ups.

“Tivemos  um número de pessoas acima das melhores expectativas, um tempo maravilhoso, e alta rotatividade de público durante todo o Domingo, com pessoas da comunidade judaica e pessoas da cidade de São Paulo. A proposta de fazer o evento nos Jardins, foi justamente a de trazer a comemoração dos 70 anos de Israel para a Rua Judaica e a Rua Paulista”, destacou o presidente da Federação Israelita do Estado de São Paulo, Luiz Kignel.

O evento, organizado pelo  Comitê Israel 70 anos, formado por cinco entidades judaicas – A Hebraica, Confederação Israelita do Brasil (Conib), Consulado de Israel em São Paulo, Federação Israelita do Estado de São Paulo e Fundo Comunitário, foi encerrado com o acendimento simbólico da primeira vela de Chanucá.

Também no Rio, Chanucá foi celebrado, às 18h, com festa na Praia de Copacabana, em evento que reuniu cerca de 3 mil pessoas e contou coma presença do governador eleito Wilson Witzel (PSC), que acendeu uma das velas de Chanucá. “A ideia de acender a chanukiá em um lugar público como a Praia de Copacabana é a de mostrar que a mensagem de Chanucá é universal. É para todo mundo, para todos os povos”, disse o Rabino Yehoshua Goldman.