23 de junho de 2017 English Español עברית

Conib Logo

Parlamentares brasileiros aprofundam-se nas novas realidades do Oriente Médio

03 Mar 2017 | 17:29
Imprimir

Oito parlamentares brasileiros visitaram durante uma semana o Estado de Israel. Os cinco senadores e três deputados federais de diversos partidos políticos e estados brasileiros tiveram a oportunidade de conhecer de perto diversos aspectos da sociedade israelense, sob as vertentes política, econômica e social, encontrando-se com personalidades destacadas.

“Todos saímos melhores que chegamos”, foi a impressão geral entre os parlamentares. Participaram os senadores Kátia Abreu (PMDB-TO), Humberto Costa (PT-PE), Ricardo Ferraço (PSDB-ES), Ana Amelia Lemos (PP-RS), Jorge Viana (PT-AC) e os deputados Pedro Vilela (PSDB-AL), Eduardo Cury (PSDB-SP) e Bruna Furlan (PSDB-SP).

“Fiquei impressionada com tudo o que ouvi, vi e senti nessa viagem! Renovo o agradecimento pelo convite e pela rara oportunidade de chegar ao berço das religiões e a uma região que precisa encontrar a paz, para um futuro melhor para a humanidade! Acredito que isso é possível”, postou a senadora Ana Amelia.

Humberto Costa publicou um vídeo sobre os objetivos da visita, em que também defende a solução de paz de dois Estados. Também postou uma nota em seu site. 

Um dos pontos altos da viagem foi a visita ao Centro de Educação para a Paz de Givat Haviva, criado em 1949 para construir uma sociedade inclusiva e coesa, por meio de ações coletivas entre as comunidades judaica e árabe. A comunidade árabe-israelense foi tema de conversa com Mohammad Darawshe, diretor de Planejamento e Estratégia do Centro.

Os parlamentares estiveram na Knesset, na Suprema Corte e na sede da Autoridade Palestina, de modo a poderem obter um quadro completo e equilibrado dos diversos atores que influenciam no cenário local. Salim Joubran, juiz árabe da Suprema Corte de Israel, que está no posto desde 2003, abordou os direitos humanos em Israel.

Na visita ao Centro Yitzhak Rabin, foram debatidos o ambiente estratégico de Israel, sua inserção no direito internacional e a nação “start up”.

Na Cisjordânia, a delegação reuniu-se com o primeiro-ministro da Autoridade Palestina, Rami Ramdallah, e com Nabil Shaath, membro do Comitê Central do Fatah. O empreendedorismo palestino foi tema de reunião com Shadi Atshan, diretor da Leaders Organization, ONG criada em 2002 com o objetivo de capacitar jovens palestinos para se tornarem líderes em suas comunidades.

O grupo visitou de helicóptero a fronteira norte de Israel. “Nessa região temos uma das situações mais complexas da geopolítica mundial”, comentou o deputado Pedro Vilela.

E esteve também na fronteira com Gaza. “Quando vemos de perto certas situações percebemos que nossos problemas no Brasil e no Tocantins são pequenos e fáceis de resolver. Estivemos hoje em um posto de defesa e alfândega na Faixa de Gaza, onde circulam, em média, 900 caminhões por dia com alimento, combustível e material de construção. A fiscalização é pesada para evitar contrabando de armas, drogas e artefatos para bombas, além de sequestros”, escreveu a senadora Kátia Abreu. 

Vilela completou: “Por aqui passa todo o fluxo de produtos que entram nesse território palestino. Isso inclui toneladas de alimentos e medicamentos doados por todo o mundo, inclusive por Israel”. A visita a Bror Chail permitiu ao grupo conhecer a vida em um kibutz perto da fronteira.

A possibilidade de incremento nas relações bilaterais também foi um tema tratado ao longo do programa, a partir de encontros com representantes de setores de agricultura, água e alta tecnologia. Bruna Furlan, titular da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional na Câmara convidou especialistas a falar na Casa sobre segurança de dados.

A deputada postou sobre a visita à planta de dessalinização Sorek: “Reunimo-nos com o especialista em assuntos hídricos Avraham Zavdi. O governo israelense foi o responsável pelo projeto, com o objetivo de atender às demandas de uma população crescente e com seu estoque de água sempre ameaçado, dependente quase que exclusivamente das chuvas de inverno”.

O programa, organizado pela Conib e Fisesp, tem o apoio do Project Interchange, ligado ao American Jewish Committee.

"Trata-se de uma oportunidade única”, afirmou o presidente da Conib, Fernando Lottenberg, “para uma imersão na realidade local, proporcionando informações atualizadas sobre a conjuntura política e econômica do Oriente Médio e das oportunidades que o quadro propicia."

"Pretendemos manter esse programa, que tem demonstrado resultados positivos para uma melhor compreensão do que ocorre no Oriente Médio entre as lideranças políticas brasileiras ", completou.
 





Comentários


Últimas do Blog

Vídeos