27 de junho de 2017 English Español עברית

Conib Logo

Documentário sobre antissemitismo na Europa é boicotado pela própria emissora que o produziu

12 Jun 2017 | 11:32
Imprimir

“Chosen and Excluded - Jew Hatred in Europe” ["Escolhido e excluído — o ódio aos judeus na Europa", em tradução literal], um documentário sobre o antissemitismo no continente europeu, feito pelos produtores alemães Joachim Schröder e Sophie Hafner e financiado com verba de contribuintes, está sendo boicotado pela própria emissora que o comissionou, o canal franco-alemão Arte, sob a alegação de que "não cumpre requisitos formais”. Mas alguns jornais, como o francês Le Monde, apontam censura.

O documentário - colocado temporariamente no ar pelo jornal Bild e, portanto, já no YouTube (em alemão, sem legendas) - mostra os movimentos neonazistas, os ativistas que defendem o boicote a Israel e as ONGs que se dedicam a denegrir a imagem de Israel, como formas contemporâneas de antissemitismo. Para contextualizar a difamação antissemita do Estado judeu, contrastando-a com a vida real no Oriente Médio, os produtores incluíram imagens de Israel e dos territórios palestinos.

Essas filmagens, ironicamente, foram identificadas pelo diretor do canal Arte, Alain Le Diberder, como a principal razão para suspender a produção. Em um comunicado de imprensa, ele afirmou que os produtores não cumpriram o requisito de entregar um documentário sobre o antissemitismo na Europa, porque incluíram muitas imagens de Israel e muito poucas dos países europeus.

Josef Schuster, chefe do Conselho do Arte, exortou Diberder, a reconsiderar, porque o filme é "altamente relevante" à luz do antissemitismo "em muitas esferas da nossa sociedade".

"Isso é ridículo", acresecntou Serap Güler, membro do Conselho do canal parceiro alemão WDR, bem como do comitê executivo da CDU, partido de Angela Merkel. Michaela Engelmeier, parlamentar social-democrata do Bundestag (Parlamento Alemão), afirmou que declaração de Le Diberder é "incompreensível".

Mencionando um relatório recente sobre o antissemitismo, que destaca a conexão entre Israel e o ódio aos judeus, Engelmeier ressaltou que "um documentário que visa refletir sobre o problema do antissemitismo tem que considerar a relação entre o antissemitismo e a crítica a Israel. Para fazer isso, é necessário se referir à situação no Oriente Médio ".

Ela também criticou o fato de que redes de TV financiadas por impostos "promovam cada vez mais narrativas anti-israelenses, ao mesmo tempo em que se recusam a mostrar um documentário sobre o antissemitismo que foi elogiado por especialistas".

Volker Beck, membro do Partido Verde da Alemanha e presidente do grupo parlamentar de Amizade Alemão-Israelense, disse que a decisão de não mostrar o documentário "é ainda mais preocupante, quando os canais Arte e WDR têm exibido programas que criticam Israel de forma unilateral”.

Leia mais, no Times of Israel.





Comentários


Últimas do blog

Vídeos